Acidentes domésticos: Saiba como agir

Pensando na segurança dos seus associados e familiares é que o sindicato dos trabalhadores nas indústrias de instrumentos musicais e de brinquedos do estado de São Paulo, a companheira Maria Auxiliadora junto ao Departamento de saúde, segurança e meio ambiente não medem esforços quando o assunto é saúde do trabalhador, através da conscientização e prevenção trazer mais essa importante informação sobre acidente doméstico.

A grande maioria dos acidentes domésticos poderia ser evitada com atenção e alguns cuidados simples, Mais acidente não avisa simplesmente acontecem e quando ocorrer o acidente o que fazer?

O primeiro passo, sempre é buscar auxílio do serviço de emergência (193), Mais algumas atitudes imediatas podem ser feitas antes da chegada dos profissionais e até mesmo impedir complicações e salvar vidas, Veja a ação a ser tomada em alguns casos:

Queimaduras:
Lave o local com água em abundância e não use nenhum produto sem indicação de profissionais especializados. Na seqüência cubra a queimadura com um pano bem limpo e umedecido. Atenção, Nunca fure as bolhas e evite tocar na área queimada.

Ferimentos:
Limpe o ferimento com água corrente ou soro fisiológico e faça uma compressão com gaze ou pano limpo para reduzir o sangramento. Não tente retirar farpas, vidros ou qualquer partícula de metal do local do ferimento. Procure o Pronto Socorro mais próximo.

Intoxicações:
Não Provoque vômito se a vítima tiver ingerido soda cáustica, derivados de petróleo (querosene, gasolina, líquido de isqueiro e removedores) outros como, ácidos, água de cal, amônia, alvejantes de uso doméstico, tira ferrugem e desodorante de banheiro. Não deixe o indivíduo ingerir álcool, azeite ou óleo, evite que ele ande e chame imediatamente os profissionais pelo fone: 193.

Fraturas:
Coloque o membro acidentado em posição tão natural quanto possível, em situação de conforto para a vítima. Imobilize a fratura, movimentando o menos possível. Aplique talas que sustentarão o membro atingido. As talas deverão ter comprimentos suficiente para ultrapassar as juntas acima afetadas e abaixo da fratura. Qualquer material rígido pode ser utilizado. Use panos ou outro material macio para acolchoar as talas evitando assim outras complicações, e danos á pele da vítima. As talas devem ser amarradas com ataduras, ou tiras de pano não muito apertadas em no mínimo quatro pontos: abaixo da junta, abaixo da fratura, acima da junta e acima da fratura também.

Engasgamento:
Se a vítima ainda estiver respirando ou tossindo, facilite suas tentativas de se desengasgar. Caso contrário, se a vítima não estiver conseguindo nem tossir, siga o seguinte procedimento:

1. Posicione-se atrás da vítima;

2. Coloque uma das mãos fechada exatamente entre o umbigo e o osso “externo” abaixo do peito;

3. Coloque sua outra mão aberta sobre a mão fechada e desfira cinco golpes para cima e para dentro da barriga da vítima até que o objeto saia ou a vítima fique inconsciente.

 

Vítima inconsciente:

Deve-se checar as vias aéreas, a respiração e a circulação de ar.

1. Deite-a de costas;

2. Cavalgue a vítima na altura das coxas;

3. Coloque suas mãos, uma em cima da outra, abertas exatamente entre o umbigo e o osso “externo” do peito;

4. Desfira cinco golpes para cima e para dentro da vítima e a cada seqüência faça uma ventilação boca a boca;

5. Verifique o pulso, e se o coração parou de bater, faça uma massagem cardíaca e chame imediatamente por socorro (193).