Álcool e seus efeitos

ÁLCOOL E SEUS EFEITOS

Há um grande numero de vitimas do alcoolismo que procuram na bebida alcoólica uma forma de aliviar o stress, a depressão, os problemas financeiros, sociais e conjugais, porém existem outras formas de tratar desses problemas sem usar o álcool como refugio e prazer. O abuso da bebida alcoólica leva muitas vezes ao uso de drogas e assim torna-se um ciclo de vícios.

O Alcoolismo é o conjunto de problemas relacionados ao consumo excessivo e prolongados do álcool e todas as suas conseqüências. Dentro do alcoolismo existe a dependência, a abstinência, o abuso, o uso excessivo, porém não continuado, a intoxicação por álcool, a síndrome amnéstica (perdas restritas de memória), distúrbios de: ansiedade, sexuais, do sono e inespecíficos. E por fim o “delirium tremes” (uma psicose causada pela abstinência ou suspensão do uso de drogas ou álcool).

O álcool usado cronicamente produz dependência. Geralmente seu uso começa em pequenas quantidades, ocasionando sensação de bem estar, alegria, excitação, facilidade de comunicação. Em maiores quantidades aparece irritabilidade, sonolência, tontura, ataxia (dificuldade de caminhar), que podem ficar mais graves, com perda de consciência, anestesia, coma profundo e morte por depressão respiratória. A ingestão de álcool ocasiona vaso dilatação (aumento do diâmetro dos vasos), perda de calor pela pele e diminuição corporal.
O alcoolista diminui a produtividade no trabalho e pode mudar o seu relacionamento com amigos e familiares. O fígado pode ser lesado, apresentando hepatite e cirrose. O fígado funciona como se fosse uma “usina”, trabalhando os alimentos e queimando as substâncias mais tóxicas que chegam ao nosso organismo. A sua lesão impede esta função. O alcoolista é uma pessoa desnutrida porque se alimenta menos, além do aparelho digestivo também sofrer lesões, diminuindo a absorção de alimentos, principalmente de vitaminas.

Os resultados de exames pos-morte (necropsia) mostram que paciente com histórias de consumo prolongado e excessivo de álcool tem o cérebro menor, mais leve e encolhido do que o cérebro de pessoas sem história de alcoolismo. As partes do cérebro mais afetadas costumam ser o córtex pré-frontal, a região responsável pelas funções intelectual superiores como o raciocínio, capacidade de abstração de conceitos e lógica. Os mesmos estudos que investigam as imagens do cérebro identificam uma correspondência linear entre a quantidade de álcool consumida ao longo do tempo a extensão do dano cortical. Quanto mai álcool mais dano. Depois do córtex, regiões profundas seguem na lista de mais acometidas pelo álcool: as áreas envolvidas com a memória e o cerebelo que é a parte responsável pela coordenação motora.

Milhões de crianças e adolescentes convivem com algum parente alcoólatra no Brasil. As estatísticas mostram que eles estarão mais sujeitos a problemas emocionais e psiquiátricos do que a população desta faixa etária não exposta ao problema, o que de forma alguma significa que todos eles serão afetados. Na verdade 59% não desenvolvem nenhum problema. O primeiro problema que podemos citar é a baixa auto-estima e auto-imagem com conseqüentes repercussões negativas sobre o rendimento escolar e demais áreas do funcionamento mental. Outros problemas comuns em filhos e parentes de alcoólatras são persistência em mentiras, roubo, conflitos e briga com colegas, vadiagem e problemas com o colégio.

Apesar do desconhecimento por parte da maioria das pessoas, o álcool também é considerado uma droga psicotrópica, pois ele atua no sistema nervoso central, provocando uma mudança no comportamento de quem o consome, além de ter potencial para desenvolver dependência. Apesar de sua ampla aceitação social, o consumo de bebidas alcoólicas,quando excessivo, passa a ser um problema.

Além dos inúmeros acidentes de trânsito e da violência associada a episódios de embriaguez, o consumo de álcool em longo prazo, dependendo da dose, freqüência e circunstâncias, pode provocar um quadro de dependência conhecido como alcoolismo. Desta forma, o consumo inadequado do álcool é um importante problema de saúde pública, especialmente nas sociedades ocidentais, acarretando altos custos para a sociedade e envolvendo questões médicas, psicológicas, profissionais e familiares.

PROCURE TRATAMENTO
O Início de tudo é a família, o alcoolismo é uma doença e requer tratamento especializado.

A secretaria de Estado da Saúde possui o Centro de Referência de Álcool, Tabaco e Outras Drogas (CRATOD). O serviço é gratuito e aberto a todos os cidadãos.

Os Municípios dispõem dos CAPS AD (Centro de atenção Psicossocial para Álcool e Drogas).

CRATOD – Telefone: (11) 3329-4455 – E-mail: cratod@saude.sp.gov.br – Site: www.cratod.saude.sp.gov.br

FONTES:
CAPS AD centro de atenção Psicossocial para Dependentes de álcool e Drogas no Município de São Paulo.

Departamento de Saúde e Segurança no Trabalho
28.04.2011